setembro 04 2013 0comment

Síndrome do impácto (bursite)

Dentre as doenças que acometem o ombro, a Síndrome do Impacto é uma das mais freqüentes. No meio popular, é conhecida como “bursite”, que significa inflamação da bursa, uma pequena bolsa que permite o deslizamento de estruturas em nosso ombro.

A síndrome do impacto ocorre quando há o choque de dois ossos do ombro, comprimindo alguns tendões (manguito rotador) desta articulação ao movimento de levantar o braço. Resulta, então, uma inflamação que envolve tanto a bursa como os tendões, levando-o à tendinite e tendinose. Esses tendões são estruturas nobres, que devido a este impacto podem, com freqüência, evoluir para uma ruptura e perda de função, além, é claro, dor. Pode acometer jovens e idosos. O diagnóstico é feito por exame clínico especializado, associado a radiografias. Se o médico suspeita de ruptura do tendão, solicita uma ultra-sonografia ou ressonância magnética.

O tratamento inicialmente é feito com medidas simples como o repouso relativo, gelo, medicação, porém a fisioterapia é fundamental. É necessário ressaltar que ela não deve se limitar a aparelhos (ultra-som, ondas curtas), sendo de capital importância os exercícios de alongamento e fortalecimento muscular específico. O tratamento cirúrgico é indicado nos pacientes com sintomas persistentes, onde houve falha no tratamento fisioterapêutico. A operação deve, pre ferencialmente, ser realizada pela vídeo-artroscopia, que é uma técnica cirúrgica minimamente invasiva, realizada com o auxílio de mini-câmera e pequenos instrumentos que são introduzidos na articulação por dois a três orifícios de aproximadamente um centímetro. As grandes vantagens da vídeo-artroscopia são os índices de bons e excelentes resultados que chegam a 94% dos operados, baixíssimas complicações, como infecções, e pela pouca dor pós-operatória